https://www.google.com/adsense/new/u/0/pub-3159886379608766/home Pega o Mapa!: Ela, a travessia

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Ela, a travessia

Terminaram os cruzeiros da Costa Oeste, é hora de nos prepararmos para o tão esperado momento, aquele do qual todo mundo fala o tempo inteiro: o crossing. A travessia (crossing) acontece sempre que um navio precisa alterar de uma temporada para outra devido à estação do ano. No nosso caso, saímos do verão do Alaska para o verão da Austrália (com os 3 cruzeiros da costa oeste no meio). A nossa travessia dura 24 dias entre os EUA e a Austrália, com paradas no Havaí e em ilhas do sul do Pacífico como Fiji e outros pequenos países que provavelmente nunca ninguém ouviu falar, ao não ser aqueles acostumados a essa rota. 

Dos 24 dias, 14 dias são de mar (segura essa marimba, monamur). A programação é a seguinte:
- Seattle
- 5 dias de mar
- Honolulu (Havaí)
- Lahaina (Havaí) – pernoite
- 7 dias de mar
- Fiji – pernoite
- 1 dia de mar
- Mystery Island (Vanuatu)
- Vila (Vanuatu)
- Noumea (Nova Caledônia)
- 2 dias de mar
- Sidney

São 14 dias de mar (e não 15, se você contar os dias acima) porque antes de Sidney nós passamos pela Linha Internacional de Data, aquela que indica quando um dia começa e outro termina. Nesse momento, “perdemos” 1 dia (vamos pular do dia 21 para o dia 23 de Outubro).

Segue o mapa lindamente editado pela minha pessoa, pra quem se perdeu no Oceano Pacifico:

Travessias significam interminaveis dias de mar, que significam que todos trabalham tipo assim feito cachorros. Geralmente as travessias pelo Atlântico (Brasil x Itália, por exemplo) duram 8 dias. A nossa vai durar VITCHY E QUATRO. Serão 24 dias olhando para as caras dos mesmo hóspedes e tentando fazê-los comprar alguma coisa todo dia. O perfil dos hóspedes de uma travessia longa assim é: idade avançada (porque afinal não é qualquer um que consegue 1 mês inteiro de férias, principalmente nos EUA) e membros do programa de “fidelidade” da Royal (Crown & Anchor Society) o que significa que o cruzeiro sai muito barato pra eles, e por isso, eles praticamente não gastam nada nas lojas. É bem difícil vender.

Então já que as nossos salários serão bem baixos esses mês (pessoas, não esperem presentes!) vamos falar da parte boa: os portos! Mas antes dos portos da travessia, vou falar um pouco sobre aqueles dois portos onde atracamos incansavelmente durante as temporadas do Alaska e da Costa Oeste: Seattle (porto de partida) e Victoria (último porto do cruzeiro).

Então enchuga as lágrimas desses 24 dias eternos e vem!


Nenhum comentário:

Postar um comentário