https://www.google.com/adsense/new/u/0/pub-3159886379608766/home Pega o Mapa!: O primeiro mes a bordo

segunda-feira, 13 de junho de 2016

O primeiro mes a bordo

Um mês de navio, e preciso dizer que aqui o tempo voa! Tempo, que por sua vez, é um conceito bem diferente, porque a bordo não faz diferença se hoje é segunda ou sábado, se é dia 5 ou dia 25. Aqui é assim: cada cruzeiro dura 7 dias, e dividimos os dias em dia de porto e dia de mar. Nos dias de porto temos folga durante o dia (exceto os casos em que precisamos repor estoque e fazer algum curso).  Nos dias de mar, trabalhamos cerca de 13 horas, com 3 horas de pausa pra comer. Todos abrimos e todos fechamos as lojas, as escalas são apenas para o almoço e jantar. Independente do dia (se de porto ou mar), nós trabalhamos a noite. Em dias de porto, o navio desatraca por volta das 18 ou 20 horas,  e quando ele deixa o porto temos que trabalhar. Vamos até meia noite, geralmente. 


Um dos pontos que levamos em conta para sconsiderar uma rota como “boa” é a quantidade de dias de mar que ela tem: quanto menos, melhor. No nosso caso, temos muitos dias de mar: são 3 para 4 dias de porto. Isso sem contar as travessias, que é quando o navio sai de um extremo a outro sem parar. Os navios europeus que fazem temporada brasileira, por exemplo, fazem a travessia Brasil x Europa em cerca de 8 dias. No nosso caso, será EUA x Hawaii x Austrália. Travessias são extremamente pesadas, porque duram muitos dias de mar, mas compensação, em dias de mar ganhamos mais dinheiro.

Nossa contagem durante a temporada do Alaska é assim:

Dia 1: dia de porto. Seattle. Dia de embarque. Chegada de novos hóspedes e de estoque. Geralmente não conseguimos sair, infelizmente. Quando conseguimos, é por duas felizes e corridas horas. 
Dia 2: dia de mar.
Dia 3: dia de porto. Juneau. Nesse dia trabalhamos até meio dia, hora em que o navio atraca.
Dia 4: dia de porto. Skagway.
Dia 5: dia de mar. Army Tracy Fjord. É lindo mas não é porto, é apenas um lugar onde o navio chega, para e volta. Farei um post sobre esse fiorde em breve.
Dia 6: dia de mar.
Dia 7: dia de porto. Victoria.
Volta pro dia 1.

Quando um hospede nos pergunta “que dia é amanhã”, as possíveis resposta são: “dia 4” ou “é dia de porto” ou “é  Skagway”. Às vezes eu sei o dia do mês porque tento manter um calendário atualizado na cabine, mas eu nunca sei o dia da semana. Nunca. E não faz a menor diferença...

Nesse trecho temos 2 alterações de fuso horário: diminuímos 1 hora na ida e obviamente aumentamos 1 hora na volta, e isso costuma deixar os hóspedes meio desorientados (só os hospedes??) principalmente porque eles já vêm de fuso horários diferentes, uma vez que os EUA tem 3 ou 4 fusos (sem contar os hóspedes de outros países). Esses dias uma hóspede me perguntou que horas eram “no horário do navio”...rs

Os hóspedes têm à sua disposição um cronograma de tudo o que irá acontecer em cada dia, no navio inteiro, dividido por hora. Dessa forma eles podem se programar e conhecer tudo o que o navio oferece. Todas as noites esses cronogramas são atualizados e impressos para o dia seguinte. Nós também temos que andar com o nosso, caso algum hóspede tenha alguma dúvida sobre os horários e localização de onde quer que ele queira ir.

Lembro que disse no início que a rota do Alaska não atrai muitas famílias com crianças. Estava enganada. Na verdade, a demografia de cada cruzeiro é diferente da outra. A maioria dos hospedes é sim mais velha, mas nesse cruzeiro em que estou enquanto escrevo, por exemplo, temos proximamente 600 crianças.

Todo dia de embarque, o “Diretor de Hotelaria (mais conhecido como dono da porra toda) informa pelo alto falante quantos novos tripulantes estão chegando, quantos estão saindo de férias, quantos hóspedes teremos e desses, quantos são crianças. Nosso gerente geralmente nos informa as nacionalidades dos hóspedes, que geralmente gira em torno de 20 (já mencionei que entre os tripulantes, há aproximadamente 65 nacionalidades, ne?). Acho ótimo ter novos hóspedes a cada 7 dias, que é um período razoável pra ficar de saco cheio antigos e estar renovada pra as novas carinhas que pedirão desconto absurdos, farão piadinhas sem graça e as perguntas mais sem noção do planeta. Serio, vou separar as “pérolas” pra postar aqui qualquer hora!

Tempo! O mês voou! Hoje é dia 4, dia de porto (Skagway) e meu celular está dizendo que é terça feira, 14 de junho, e isso significa que amanhã é aniversário da minha mãe. Melhor eu ligar hoje porque amanhã é dia de mar... não terei tempo.








2 comentários:

  1. Estou adorando os posts Carol!!!

    ResponderExcluir
  2. Que fófis, mesmo perdida no tempo, ela lembrou do aniversário da mamis. Acho que não lembraria nem o meu alokkkkk. Tô com saudades!!

    ResponderExcluir