https://www.google.com/adsense/new/u/0/pub-3159886379608766/home Pega o Mapa!: Primeiros dias a bordo

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Primeiros dias a bordo

Primeiro dia, sair do hotel, seguir pro porto e me despedir, por enquanto, de Seattle. Peguei o transporte do hotel e em 15 minutos já dava pra ver o quão lindo era o meu navio. O Explorer of the Seas tem 15 decks (andares) e capacidade para uns 3144 passageiros e 1185 tripulantes. Chegamos no porto, passei pela área de segurança reservada à tripulação e aguardei por alguém que iria me buscar. O responsável pela segurança era da “ex União soviética” como ele mesmo se apresentou e vestia o emblema da segurança norte-americana no braço, o mundo é mesmo muito louco! Ele já morava aqui há quase 20 anos, era divorciado e não tinha filhos. Todas as malas ficam naquela área até o término dos embarques, quando são levadas ao navio onde cada tripulante deve buscar a sua. Pedi para levar a minha mala de mão comigo, “é praticamente tudo o que me resta”, brinquei. E ele com uma cara de pena respondeu: “pode levar, não queremos que você perca essa também.”

Uma moça chegou com a lista de tripulantes na mão e pro meu alívio, meu nome estava lá (eu sempre tenho pânico do meu nome não estar nas listas...) Entreguei o passaporte e subimos. Que nervoso! Fomos direto ao RH, onde assinei papéis, fiz identificação com uma foto impossível de ficar mais horrorosa, ganhei o cartão-chave da cabine, o cartão de segurança, minha name tag (identificação que usamos no uniforme) e uma garrafa d'agua. Welcome onboard!

Pouco mais de 10 minutos depois, minha assistant manager (assistente de gerente) chegou, toda simpática e sorridente, me dando boas vindas. Ela é mexicana, muito atenciosa, e até o momento não tenho do que reclamar. Me apresentou uma colega de trabalho, croata gente boa que ficou comigo o dia inteiro me mostrando como as coisas funcionavam, aquele era o seu segundo contrato e ela tinha acabado de voltar da férias. Ela me apresentou alguns amigos (inglesa, irlandesa, português...) e onde comemos: tem um o restaurante para a tripulação (crew mess) e outro para a tribulação (staff mess). Ficou perdido? Vamos lá: tripulação, em inglês, é crew. No entanto, no navio existem 3 status básicos da tripulação: crew, staff e officers. Os OFFICERS são os oficiais, que cuidam da segurança, navegação, áreas técnicas em geral. O STAFF é a parte da tripulação que lida com o passageiro na área de vendas, entretenimento, fotografia, entre outros. Staff tem algumas regalias com relação às áreas de passageiro que pode frequentar. CREW é a maior parte da tripulação, que vai desde os colegas dos bares, os camareiros, cozinha, limpeza, etc. Como sou staff, posso comer nos dois restaurantes.

O navio tem 15 decks e eu moro lá embaixo no deck 1, com o Nemo. Minha cabine fica na parte da frente (foward) e mais pro meio (midship), ou seja, não tenho janela. Antes de falar sobre os decks eu preciso falar sobre a cabine, que todo mundo pergunta como é. Todos dizem que a cabine da tribulação é pequena. Não é bem assim... na verdade ela é menor do que pequena, é minúscula! Você abre a porta pra entrar e pisca, nesse piscar de olhos você já viu tudo o que te lá: uma beliche, um banheiro. Nos cantos, duas portas estreitas e compridas, os armários. Tem uma mesinha com tv e, em cima, um nicho pra gente guardar qualquer coisa. Dá um susto quando a gente vê o quão pequena é, mas depois acostuma, e honestamente agora eu já nem acho tão minúscula assim... Eu divido a cabine com uma brasileira que também está no primeiro contrato (está um mês na minha frente). Graças a Deus nos demos bem e ela é um amor, sem contar que é um alivio ter alguém da sua cultura no mesmo quarto, alguém pra papear sobre qualquer coisa aleatória.

Agora voltando sobre os decks... baixo de nós existem apenas mais 3 decks (um de cabines de tripulantes, um de armazéns, lavanderias e afins, e o último com máquinas e tal). No deck 1, existe uma "rua principal", também conhecida como I95, É a única que atravessa o navio de proa a popa num corredor só. Os passageiros ficam do deck 2 para cima e não têm acesso aos decks inferiores, exceto em casos de emergência e pra sair do navio quando ele aporta. Andar pelos bastidores do navio, no início,  é quase que desesperador, porque exceto pelo corredor do deck 1, todos os outros acessos são labirintos tipo matrix: você abre uma porta e tá no Himalaia, abre outra e tá na Bahia. Sobe uma escada e sai na cozinha, vira pra direta e dá de cara varias outras portas. A vontade é de chorar. Eu durmo no 1, como e trabalho no 5, mas ir do trabalho para o restaurante não é uma tarefa fácil, tenho que descer até o deck 3 pra, por outro caminho, voltar pro 5.

Resumindo, ir de e um lugar pra outro sem me perder tem sido uma vitória a cada dia! Ainda não tive tempo de “explorar o navio”, e também estou esperando treinamento que teremos, onde a ideia é conhecer o navio todo.

3 comentários:

  1. Pqp!!! Perdi todo o meu comentário antes de postar.. Então vou tentar lembrar o que estava falando!

    Que navio enoorme!!!! Queria tbm!!!
    Não gostei muito disso aí de morar com o Nemo!! Mas é legal ter uma brasileira junto neh?? (Quero detalhes! Cabine minúscula, vixe! Pelo menos as brasileiras .... Enfim... (Por cel isso ou tt!kkk)
    Será que ela é a Dory??? "Continue a nadar" kkkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. Pqp!!! Perdi todo o meu comentário antes de postar.. Então vou tentar lembrar o que estava falando!

    Que navio enoorme!!!! Queria tbm!!!
    Não gostei muito disso aí de morar com o Nemo!! Mas é legal ter uma brasileira junto neh?? (Quero detalhes! Cabine minúscula, vixe! Pelo menos as brasileiras .... Enfim... (Por cel isso ou tt!kkk)
    Será que ela é a Dory??? "Continue a nadar" kkkkkkkk

    ResponderExcluir
  3. Se servir de apoio, já tô perdido no navio junto com você kakakakaka.

    ResponderExcluir