https://www.google.com/adsense/new/u/0/pub-3159886379608766/home Pega o Mapa!: PERU 13 - Puno: Rota do Sol

domingo, 1 de novembro de 2015

PERU 13 - Puno: Rota do Sol

Puno, a cidade mais feia que já visitei na vida! Puno foi um caos do início ao fim... então vamos por partes!

Por que Puno: Porque tem o Lago Titicaca, o lago navegável mais alto do mundo! Faz fronteira com a Bolívia e lá podemos conhecer as Ilhas de Uros e Taquiles (a primeira, flutuante). Lemos os relatos de quem foi, vimos as fotos e adicionamos ao roteiro. 

A ida de Cusco até Puno pode ser feita de trem ou de ônibus. A agência havia marcado nossa ida para Puno da forma como havíamos pedido: a Rota do Sol, um ônibus turístico bacana, que custava aproximadamente 60 doletas e parava em alguns pontos turísticos até Puno (almoço incluído) . 


E aí começou a treta...

Obviamente chegamos mortas do Machu Picchu na noite anterior, e ficamos de arrumar as malas no dia seguinte cedo. Acordamos bêbadas de sono para arrumar as malas, fazer check ou e partir. Sono + confusão mental devido ao mal da altitude. Resultado: a agência foi nos buscar no hostel para nos levar até o terminal de saída do ônibus e não estávamos prontas! Foi um desastre, correria, arrumar a mala de qualquer jeito, correr com o check out e deixar o cara da agência desesperado porque a essa altura já havíamos perdido o ônibus! Ele, com uma boa vontade do além, arrumou um taxista perseguiu conosco o ônibus por uns 20 minutos, até que enfim conseguimos embarcar. Estávamos completamente descabeladas e com muita vergonha daquilo tudo. Ao menos o ônibus era muito confortável e dormimos um pouco no caminho.

Passamos por lugares bem feios na saída de Cusco (eu adoro fazer esses caminhos fora dos trechos turísticos, pra conhecer mais a realidade das cidades)


Primeira parada: Andahuaylillas, onde visitamos a Iglesia de San Pedro. É considerada a Capela Sistina das Américas pela riqueza nas suas pinturas. A Igreja é realmente muito linda por dentro, e segundo o guia, todas as obras são originais, feitas em ouro e prata. Como todas as igrejas histórias da região, esta também foi erguida sobre um templo Inca, então podemos ver muitas referências incas misturadas às católicas. Essa imposição católica pelos espanhóis é realmente muito forte (e mais gritante ainda em Arequipa, próxima cidade que visitamos).




Segunda parada: Ruínas de Raqchi, que foi um templo dedicado ao Deus Wiraqocha, o principal Deus dos Incas (a esse ponto da viagem já estamos íntimos de Wiraqocha e Pachamama). Após as ruínas, paramos para almoço.



Encontramos uma excursão de escola, e eles são muito bonitinhos!!!

Terceira parada: La Raya. O caminho entre Cusco e Puno é uma subida, e La Raya é fronteira entre as duas cidades e tem a maior altitude do trecho, 4.335 metros acima do nível do mar (m.a.n.m.). Lá encontramos alguns locais vendendo seus artesanatos, disponíveis para foto (1 sol por foto) e podemos ver também os lindos picos nevados.

sim, é muito frio

Quarta parada: Pukara, que é sítio arqueológico onde visitamos um museu, cujas fotos eu acho que perdi (risos/choros). Neste ponto da viagem, sejamos honestos, estamos exaustas. Não me lembro detalhes desse museu, mas segundo o google, Pukara é um museu de cultura pré-inca dedicado aos deuses da chuva e dos raios.


Última parada: Puno, nosso destino! Chegamos depois de aproximadamente 10 horas de viagem.

Pegamos um taxi e fomos procurar nosso hostel. Aqui vale ressaltar um erro: o hostel foi agendado pela nossa agência em Cusco, a mesma que fez os outros tours, e não por nós como de costume. Não havíamos lido sobre o hostel e confiamos na agência, o que foi um grande erro. Enquanto que em Cusco, que nós agendamos, ficamos no melhor hostel das nossas vidas (Pariwana é realmente um sonho), este de Puno foi o pior de todos! Eu não tenho nem palavras pra descrever como o lugar era caído, mas vamos lá: mal localizado (não ficava na plaza de armas e a vizinhança não parecia amigável), velho, quartos péssimos, não tinha aquecimento (Puno é MUITO frio), o chuveiro não esquentava, não tinha wifi e o quarto em si era um horror. Fazia aproximadamente 2º C e o chuveiro não esquentava????? Como que se toma banho a 2º C? Não se toma banho. O lugar era tão mal construído que a gente precisava fechar a porta do banheiro e pular por cima do vazo pra chegar do outro lado. E fazer xixi de porta fechada? Impossível porque a porta fechava colada no vazo. Enfim, um show de horrores que a gente só queria que acabasse logo.

Fomos dormir imóveis de tanto frio, rezando pra noite acabar logo e esperançosas de que o dia seguinte seria incrível no Lago Titicaca!

...iludidas...

Nenhum comentário:

Postar um comentário