https://www.google.com/adsense/new/u/0/pub-3159886379608766/home Pega o Mapa!: 2016

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Ilha de Pinos - um paraíso no sul do Pacífico

Ilha de Pinos: a praia mais linda em que eu já estive NA MINHA VIDA! É uma mistura de uma água maravilhosa em vários tons diferentes com uma areia perfeitamente branca e fina e um cenário que parece desenhado em photoshop. As minhas fotos não fazem jus a real beleza desse lugar...

Aguas cristalinas e areia branca em ilha do Sul do Pacifico


quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Como se apaixonar por Sydney em 1 dia

Sidney é, certamente, uma das cidades mais lindas que eu já visitei na vida, e por isso, trabalhar num cruzeiro tem o seu lado cruel: você se apaixona por uma cidade, mas não tem tempo de conhecê-la do jeito que gostaria. Eu queria ter tido uma semana inteira em Sidney, mas tive só um dia, e foi INCRÍVEL!

Opera House Sidney

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

O fim de uma travessia!

Uma travessia é a prova daquele ditado que diz que "o importante não é o destino e sim a jornada". Nossa jornada de 24 dias foi exaustiva sim, mas também foi maravilhosa! Navegamos por um oceano incrivelmente lindo, cruzamos a Linha do Equador, que divide o globo em Norte e Sul, cruzamos a Linha Internacional de Data, que determina quando um dia começa e o outro termina. Passamos por lugares lindos como o Havaí, que para minha surpresa, entrou para minha lista de lugares que pretendo voltar um dia (com mais tempo e dinheiro). Conhecemos lugares remotos, como algumas ilhas do Sul do Pacífico, que além de histórias interessantes, têm também as águas mais cristalinas que eu já vi na minha vida! E, graças a Deus, não tivemos nenhuma emergência a bordo, e sabemos como elas são simplesmente possíveis de acontecer.


sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Nouméa, Nova Caledônia

Estamos no dia 21 da travessia EUA x Austrália. Passageiros exaustos, tripulação exausta, mas ainda temos um suspiro de alegria que é o nosso último porto antes de Sidney: Nouméa, capital da Nova Caledônia.


A Nova Caledônia tem uma história interessante... foi uma colônia francesa que hoje vive um modelo de autonomia bem diferente de qualquer outro país do mundo.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Vanuatu / Mystery Island

Vanuatu é um daqueles países que você provavelmente nunca ouviu ou ouvirá falar. Já vou então mandar um mapa pro início de conversa:


A capital de Vanuatu é Port Vila (em vermelho), que foi uma das nossas paradas. A segunda (e realmente relevante) é Mystery Island, que não está no mapa. Vamos considerar essa ilha como um mistério, e logo logo vocês entenderão o porquê.

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

sábado, 26 de novembro de 2016

O verdadeiro Luau Havaiano - Lahaina, Havaí

Acordar cedo, botar o biquini e sair feliz pelo navio! Lahaina é um porto de tender (não há porto, então o navio ancora no mar e vamos até a praia naqueles barquinhos), o que significa que dá mais trabalho para sair do navio. Lahaina também é, no entanto, um porto de overnight (pernoite), então ninguém precisa se preocupar com a hora de voltar para o navio pois só sairemos no dia seguinte.

Lahaina é um "distrito" (não é bem um distrito, e sim uma região) na ilha de Maui. Completamente diferente da capital Honolulu, que é uma cidade relativamente grande, Lahaina é uma cidadezinha praiana, pacata e pequena.

Os primeiros 5 dias... Honolulu, Havaí

Começamos a travessia! Serão 5 dias de mar até chegarmos à nossa primeira parada: Havaí. Confesso que o Havaí nunca esteve na minha lista de lugares que sou louca pra conhecer, porque apesar de morar no litoral, nunca fui tão fanática por praia...até que passei 4 meses no Alaska! Nunca quis tanto uma praia NA VIDA! Já estava louca-alucinada pra botar um biquini, pisar na areia e dar um mergulho!
Olaf ansioso pelo verão me representa...

Mas antes, 5 dias de mar...

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Seattle

Seattle. Pausa para importante reflexão de Meredith Grey nesse momento:


Embora Grey's Anatomy não seja de fato gravada em Seattle, sempre fui louca pra conhecer essa cidade plano de fundo da série que desidrata minha alma todas às quintas feiras, desde 2002. 

Victoria, Canadá

Victoria, aquela cidade que não tinha como dar errado porque já tem nome de cidade que eu amo! É a capital do distrito da Columbia Britânica (British Columbia), e fica na ilha de Vancouver, no Canadá. É uma cidade de porte médio, bastante turística e LINDA! Também é um destino bem famoso entre os intercambistas que escolhem o Canadá e fica a aproximadamente 2 horas de Vancouver. Pra quem tá perdido, segue o mapa: em azul, a ilha de Vancouver e em vermelho, a parte do Alaska que é a rota dos navios. 

Mesmo depois que o Alaska acabou, Victoria continuou na nossa nova rota pra a Califórnia, ainda como o último porto do cruzeiro porque a cidade fica bem pertinho de Seattle. 

Victoria é uma cidade linda, organizada e famosa por suas flores. A cidade toda é um  jardim! O principal ponto turístico é o jardim Butchard Gardens, que é enorme e floresce o ano inteiro, independente da estação. Ele pertencia, originalmente, à família Butchard, que foi moldando o jardim por gerações, desde 1904. Hoje, é um patrimônio da cidade, e é realmente impressionante como eles conseguem manter um lugar enorme como aquele impecavelmente maravilhoso. Difícil escolher "as melhores fotos" desse parque...


sexta-feira, 18 de novembro de 2016

PARA TUDO!

Seis meses voam! Desembarco em 2 dias e to feliz, ansiosa e nervosa. Acima de tudo, com saudade! Os posts da travessia e Austrália estão prontos, mas não posso postar por motivos de: não há wifi nas ilhas do sul do Pacífico, então atualizarei o blog da casa da minha mamãe, onde a internet funciona e não custa 4 dólares a hora. 

Até no Brasil!

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Ela, a travessia

Terminaram os cruzeiros da Costa Oeste, é hora de nos prepararmos para o tão esperado momento, aquele do qual todo mundo fala o tempo inteiro: o crossing. A travessia (crossing) acontece sempre que um navio precisa alterar de uma temporada para outra devido à estação do ano. No nosso caso, saímos do verão do Alaska para o verão da Austrália (com os 3 cruzeiros da costa oeste no meio). A nossa travessia dura 24 dias entre os EUA e a Austrália, com paradas no Havaí e em ilhas do sul do Pacífico como Fiji e outros pequenos países que provavelmente nunca ninguém ouviu falar, ao não ser aqueles acostumados a essa rota. 

Dos 24 dias, 14 dias são de mar (segura essa marimba, monamur). A programação é a seguinte:
- Seattle
- 5 dias de mar
- Honolulu (Havaí)
- Lahaina (Havaí) – pernoite
- 7 dias de mar
- Fiji – pernoite
- 1 dia de mar
- Mystery Island (Vanuatu)
- Vila (Vanuatu)
- Noumea (Nova Caledônia)
- 2 dias de mar
- Sidney

sábado, 15 de outubro de 2016

São Francisco 3

Deixamos a Golden Gate para o último cruzeiro. O dia estava lindo e assim que fomos liberados do navio, partimos direto para lá! Minhas lembranças de lá eram as mais deliciosas possíveis, cruzar a Golden Gate de bicicleta foi umas das coisas mais legais que já fiz em viagem. Dessa vez fomos andando...

São Francisco 2

Segundo cruzeiro para São Francisco, cruzeiro da “Corrida Maluca”. Nosso gerente (que, diga-se, é excelente no quesito manter-nos motivados) inventou uma dinâmica de grupo onde o objetivo era conhecer São Francisco. O grupo que enviasse mais fotos dos lugares selecionados, ganharia 300 doletas. 

Partimos para: o Wharf, tomar sorvete na fábrica  da Ghirardelli

São Francisco 1

Acordei cedo, às 5:30 da manhã, sem reclamar, pois o motivo era nobre: ver o navio entrando na baía de São Francisco. O sol nascendo atrás Golden Gate, que àquela hora ainda estava com a famosa névoa cobrindo os pés da ponte. Lindo e emocionante, se você ama São Francisco tanto quanto eu. Já faz 6 anos desde que me apaixonei essa cidade e foi uma delícia poder voltar! 

A Costa Oeste

Ahhhhhhh, a Costa Oeste! São Francisco! Aquela cidade pela qual me apaixonei há 6 anos atrás e prometi a mim mesma que voltaria. Bem, nem preciso dizer que quando vi que São Francisco estava na rota do Explorer, pulei de felicidade, ne?! Mas o que eu só fui  descobrir a bordo, é que seria um porto com pernoite (overnight), o que significa que: não trabalhamos à noite, podemos de fato curtir a noite da cidade (nem precisamos voltar pro navio, se não quisermos) e que só iremos embora no dia seguinte, à tarde. Não poderia ser melhor!!

São Francisco fez parte da rota do Explorer por 3 cruzeiros e todo mundo (TODO MUNDO) estava ansioso por esses cruzeiros na costa oeste, porque seria uma mudança maravilhosa de clima depois de uma longa temporada no Alaska. São Francisco prometeu muito. E cumpriu!

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Adeus, Alaska!!

O Alaska acabou!! FINALMENTE! Foi bonito, foi! Foi intenso, foi! Foram 17 cruzeiros de tudo que nunca imaginei fazer na vida e de muito, muito trabalho!

Alaska foi lindo...
 

domingo, 28 de agosto de 2016

A metade do contrato

Eu moro num navio. Não tenho janela. Meu quarto não tem mais de 8 metros quadrados e ele não é só meu. Minha cama é a de cima e as vezes quase caio quando acordo sonolenta. Mas toda vez que acordo, estou num lugar incrível. Você já foi dormir no Alaska e acordou no Canadá? Ou até mesmo foi tomar café da manhã e deu de cara com uma geleira enorme de paisagem? Eu faço isso toda semana e acredite, é único.

Eu trabalho em pé, cerca de 12 horas por dia. Os pés doem, as pernas doem, as costas doem, e os horários de descanso não são suficientes pro corpo se recompor, embora ele já tenha se habituado. Mas tem dias em que só trabalho por 3 horas, e posso usar as outras horas pra fazer algum tour incrível, porque sim, os tours aqui são incríveis! Na hora em que estou dentro de um helicóptero, ou no alto de uma montanha cheia de neve, ou até mesmo dentro de uma caverna de gelo, exatamente dentro de uma geleira, eu não me lembro de nenhuma dor. Você já pisou numa geleira e ouviu o barulho do gelo trincando embaixo dos seus pés? É surreal!

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Mendenhall Glaciar, Juneau - Alaska

Eu achei que andar de helicóptero e pousar no alto de um montanha coberta de neve tinha sido a coisa mais fantástica que eu fiz nesse Alaska, até aparecer o Mendenhall...

A geleira de Mendenhall (Mendenhall Glaciar) fica na cidade de Juneau, capital do Alaska, e tenho ela numa foto linda, no calendário pendurado na minha cabine. “Gente, como faz pra ir nesse lugar da foto?”. Pegamos 40 minutos de ônibus, depois mais 20 de caminhada, e chegamos no cenário maravilhoso do meu calendário: uma praia com uma cachoeira à direita e a geleira ao fundo. 

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

JUNEAU

Estamos na viagem 12 para o Alaska, faltam apenas mais 5, e até agora não escrevi sobre o primeiro porto em que o navio atraca: Juneau. O principal motivo é que Juneau é meio dia de mar, meio de porto (atracamos às 11 da manha), então geralmente trabalhamos até umas 2 da tarde. Mas quando podemos finalmente sair, sempre tem algum coisa pra fazer. 

Juneau é a capital do Alaska, e a terceira cidade mais populosa do Estado (mas não se empolguem, porque as cidades são todas pequenas). É uma ilha, então só pode ser acessada por mar ou ar. O difícil acesso, obviamente, encarece o custo de vida da cidade, que sobrevive do turismo e da pesca. Por outro lado, fortalece o turismo, principalmente o mercado de cruzeiros. Segue um mapa pra quem tá perdido no Alaska. 

quinta-feira, 7 de julho de 2016

A vida nas lojas

O trabalho nas lojas é visto pela maioria da tripulação como um trabalho “mais tranquilo”, então  venho aqui com a missão de contar pra vocês que NÃO É BEM ASSIM, AMIGUINHOS e falar sobre os prós e contras da vida dessa galera que ganha mal, trabalha cerca de 13 horas por dia, em pé, carrega muitas caixas pra cima e pra baixo e tá sempre linda e bem arrumada.  Nós, os lindos do shopping.

sábado, 2 de julho de 2016

Sobre os hóspedes a bordo

O trabalho em um cruzeiro me permite fazer uma coisa que adoro: observar pessoas. Sempre faço isso em locais públicos, tipo shoppings e aeroportos, porque observar como as pessoas se comportam quando acham que ninguém está olhando é muito divertido!

A cada cruzeiro, temos cerca de 25 nacionalidades de hóspedes, e como se não bastasse essa loucura cultural, tem gente de tipo: nova, velha, casal, gente que viaja sozinha, excursão de 40 pessoas, famílias inteiras, enfim, de tudo mesmo! A maioria deles fala inglês, bem ou mal, mas existem alguns poucos que não falam nada. Quando são hispânicos, têm sorte porquê a grande parte da tribulação fala espanhol. Já quando são orientais, vai na mímica mesmo...

quarta-feira, 22 de junho de 2016

TRACY ARM FJORD

Vamos falar então sobre Tracy Arm Fjord, o lugar que todos nós achávamos que seria um dia de porto, mas foi pegadinha do malandro! Mas, sendo honesta, é uma pegadinha única de se ver, e muito, muito linda!

Tracy Arm faz parte de um trio de fiordes: Tracy Arm, Endicott Arm e Fords Terror (sente o drama do terror). Dos 3, Tracy Arm é o mais extenso e famoso. Os fiordes são esses braços do mar que entram no continente, e na outra extremidade ficam as geleiras. No caso do Tracy Arm, a geleira vai até o Canadá! No mapa abaixo, marquei a seta onde o navio entra e o caminho que percorre até o X, que é a geleira.

terça-feira, 21 de junho de 2016

Trilha em Skagway

Alguns passeios nos Alaska rompem totalmente com a imagem pré concebida que temos daqui, como aquele lugar frio e cheio de neve. Em Skagway, fizemos uma trilha na montanha Denwey, que além da paisagem verdíssima, tem um lago maravilhoso no alto da montanha!

São quase 2 horas de caminhada até o Lower Denweu Lake, e nos 20 primeiros minutos de subida eu já estava me arrastando morro acima (isso porque o nome do lago indica que ele é o “de baixo”, então imagina o “de cima”). Sedentarismo na veia. Paramos no primeiro lago, que é lindíssimo!

segunda-feira, 13 de junho de 2016

O primeiro mes a bordo

Um mês de navio, e preciso dizer que aqui o tempo voa! Tempo, que por sua vez, é um conceito bem diferente, porque a bordo não faz diferença se hoje é segunda ou sábado, se é dia 5 ou dia 25. Aqui é assim: cada cruzeiro dura 7 dias, e dividimos os dias em dia de porto e dia de mar. Nos dias de porto temos folga durante o dia (exceto os casos em que precisamos repor estoque e fazer algum curso).  Nos dias de mar, trabalhamos cerca de 13 horas, com 3 horas de pausa pra comer. Todos abrimos e todos fechamos as lojas, as escalas são apenas para o almoço e jantar. Independente do dia (se de porto ou mar), nós trabalhamos a noite. Em dias de porto, o navio desatraca por volta das 18 ou 20 horas,  e quando ele deixa o porto temos que trabalhar. Vamos até meia noite, geralmente. 

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Helicóptero e Dog Sleding

Pensem numa coisa que eu nunca imaginei fazer? Tipo assim andar num trenó, na neve, puxado por huskies fofos e alucinados por corrida. Adicionem a isso um passeio de helicóptero pelas montanhas cobertas de gelo, e pousar no alto de uma dessas montanhas. Pois é, esse dia foi louco!

O passeio de helicóptero em Skagway dura incríveis 30 minutos, sobrevoamos parte da floresta e das montanhas cobertas de neve. Conseguimos ver lagos congelados e muita, muita neve.

Pousamos no “acampamento” dos huskies e se, como eu, você também não apoia turismo que envolva animais sendo explorados, fique tranquilo! Os cachorros são extremamente bem tratados e o negócio deles é correr. Eles ficam visivelmente alucinados pra puxar o treno e são extremamente fofos e MUITO fortes!

Ainda não sei descrever o que foi aquilo...






Aproveitando pra agradecer os comentarios lindos e fofos, que eu leio todos mas nao consigo responder nenhum por motivos de sou pobre e a internet é cara. Nao desistam de mim...






quinta-feira, 2 de junho de 2016

SKAGWAY

Skagway é uma cidadezinha simpática no sudeste do Alaska, com uma vida baseada em turismo e venda de jóias (acredito eu que principalmente para turistas).

É bastante visitada, incluída nas rotas dos cruzeiros, e sua principal atração é o passeio de trem pela rota do ouro de White Pass & Yukon, embora existam também várias outras opções para os turistas mais aventureiros, tipo canoagem, aluguel e passeio de moto, rafting, passeio a cavalo e coisas do tipo.  A maioria dos turistas chega aqui por navios, também tem aqueles que viajam de carro, cidade mais próxima fica a aproximadamente 2 horas de distância.

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Alaska!

O Alaska será a principal rota do navio durante o meu contrato (o contrato vai de Maio a Novembro, e o Alaska de Maio a Agosto). Parece ser um destino um tanto quanto inóspito, mas esse é só mais um erro comum de quem mora em clima tropical, porque de inóspito o Alaska não tem é nada! É incrivelmente lindo, principalmente no verão. 

Lembrando aos esquecidos que o Alaska é um estado dos EUA, então nesse roteiro fazemos o último porto dos EUA (Seattle), passamos pelo Canadá, e chegamos no Alaska (EUA novamente). O cruzeiro tem saída de Seattle e dura 8 dias com as seguintes paradas:
- Juneau
- Skagway
- Tracy Arm Fjord
- Victoria
- Seattle

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Primeiros dias a bordo 3

Terminando esses posts iniciais sobre as primeiras impressões no navio, posso dizer que:

- Tem dias que o mar está tão sereno que você até esquece que está num navio. Já em outros dias, é mais difícil dormir por causa do barulho das ondas batendo (lembrem-se que tô no deck 1) e com ele balançando. Nos dias que balança mais, fico meio tonta o dia inteiro. Ainda não passei mal, mas já quase caí por causa da tonteira (além de tonta eu fiquei meio lesada, rs).

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Primeiros dias a bordo 2

O segundo dia já começou corrido, meu treinamento era às 9 da manhã mas eu confundi com o horário da loja, 09:30. Eram 09:15 e eu já estava atrasada. Saí da cabine às pressas e honestamente não sabia nem pra onde ir. Depois de 5 minutos perdida pelos labirintos dessa matrix, um colega tentou me ajudar a chegar no treinamento, e também se perdeu.

Quando nos achamos, já era 09:40 e a sala estava vazio, então descobrimos que o treinamento havia sido cancelado (eu tenho muita sorte mesmo!).  Voltamos pra loja, que estava fechada pois estávamos atracados. Começamos a organizar os produtos quando, de repente, o alto falante chama:
- BRAVO BRAVO BRAVO, DECK 5 ZONE 1.
- BRAVO BRAVO BRAVO, DECK 5 ZONE 1.
- BRAVO BRAVO BRAVO, DECK 5 ZONE 1.

Primeiros dias a bordo

Primeiro dia, sair do hotel, seguir pro porto e me despedir, por enquanto, de Seattle. Peguei o transporte do hotel e em 15 minutos já dava pra ver o quão lindo era o meu navio. O Explorer of the Seas tem 15 decks (andares) e capacidade para uns 3144 passageiros e 1185 tripulantes. Chegamos no porto, passei pela área de segurança reservada à tripulação e aguardei por alguém que iria me buscar. O responsável pela segurança era da “ex União soviética” como ele mesmo se apresentou e vestia o emblema da segurança norte-americana no braço, o mundo é mesmo muito louco! Ele já morava aqui há quase 20 anos, era divorciado e não tinha filhos. Todas as malas ficam naquela área até o término dos embarques, quando são levadas ao navio onde cada tripulante deve buscar a sua. Pedi para levar a minha mala de mão comigo, “é praticamente tudo o que me resta”, brinquei. E ele com uma cara de pena respondeu: “pode levar, não queremos que você perca essa também.”

ALO ALO MINHA MALA EXTRAVIOU!

Existe primeira vez pra tudo: o primeiro beijo, o primeiro dia de trabalho, o primeiro coração partido, o primeiro extravio de mala. Mas na verdade, ela não foi extraviada (assim disseram), ela só não voou junto comigo. Ela e mais 28 malas, ou seja, um carro inteiro ficou esquecido em Atlanta. Depois que quase 15 horas de voo, encontro uma Seattle muito fria! O fuso horário foi uma maravilha, porque cheguei de tarde, então terei o resto do dia pra não fazer nada e fazer várias coisas!

terça-feira, 10 de maio de 2016

Aquela contagem regressiva

Quando você diz que irá trabalhar num navio de cruzeiro, e que ficará, no mínimo, 6 meses embarcada, geralmente as reações são:
1 - você é louca!
2 - você não tem medo?
3 - pra onde você vai?


sexta-feira, 6 de maio de 2016

Ela: a data!

Depois de tudo o que você sofreu, tudo o que gastou, de toda a ansiedade durante o processo, agora você sabe que está tudo certo e falta apenas aguardar por ela: A DATA DE EMBARQUE.

Muitas pessoas conseguem conciliar todo esse processo com um emprego. No meu caso, foi impossível, porque trabalhava longe do Rio de Janeiro e em uma empresa onde não era muito fácil faltar. Se você, como eu, já tiver largado o seu emprego por conta do embarque, essa é a hora de colocar todas as suas séries em dia, inventar uns artesanatos, correr na praia, enfim, fazer qualquer atividade que te ajude a não morrer do famoso mal da ansiedade e ter um pequeno ataque cardíaco toda hora que chega e-mail.


quarta-feira, 4 de maio de 2016

Exames Médicos

Depois que você já gastou tudo o que não poderia ter gasto e não aguenta mais esperar pela data de embarque, eis que é chegada a hora de fazer os exames médicos.

Eles custam entre 600 e 900 reais e não são reembolsáveis (hahaha, é rir pra não chorar). São feitos em clínicas específicas para tripulantes de navios e aviões, logo, não podem ser feitos em qualquer cidade. Estas clínicas não aceitam plano de saúde, nem lágrimas.

Os exames são simples como qualquer exame admissional: raio x do tórax, exame de vista (caso usar óculos, leve-os) conversa com o médico e coleta de sangue e urina. Migos, cuidado com as dorgas!

"meu amigo mandou perguntar se..."


Tirando o visto de Tripulante

Quem embarca no Brasil, geralmente embarca em cias europeias durante a temporada brasileira, e era o que eu imaginei que aconteceria comigo. Até que recebi um e-mail da Infinity pedindo pra que eu tirasse o visto de tripulante, pois eles iriam considerar também as cias norte-americanas, já que não estavam conseguindo uma vaga para mim nas europeias. A felicidade bateu no meu core, porque as cias norte-americanas têm fama de oferecer uma vida melhor ao tripulante.



Curso de Salvatagem

Não é novidade que, para se trabalhar embarcado, é necessário que se tenha um curso de salvatagem. O curso compreende aulas de primeiros socorros, conhecimentos gerais sobre o navio, combate a incêndio, terrorismo e noções na água em caso de abandono do navio. Em geral, como sobreviver caso dê merda. Pessoalmente, achei o bastante importante, apenas algumas matérias chatas. 

"Vamo Jack, vai ser divertido..."

Entrevistas: II - Com a Cia Marítima

Algumas companhias marítimas entrevistam os candidatos por Skype, outras, pessoalmente. No meu caso, foi pessoalmente, porque afinal, pra que baratear se você pode encarecer?

Eu seria entrevistada para a vaga de vendedora (sales associate) e todas as lojas dos navios atendidos pela Infinity são terceirizadas, logo, a minha entrevista não era com a cia marítima e sim com a terceirizada, a Starboard. Detalhe: existem cias marítimas que não terceirizam suas lojas, como por exemplo a MSC.

Starboard Cruise Services: uma empresa do grupo Loius Vuitton especializada em lojas de varejo em navios de cruzeiro. Tipos gift shops de aeroporto, vendem perfumes, relógios, jóias, bebidas e roupas.
A Starboard é responsável pelas lojas das cias marítimas abaixo:


O recrutador é norte-americano e vem ao Brasil apenas 1 vez ao ano, logo, conte com a sorte para que seu processo não demore! Aguardei apenas 1 mês entre a entrevista via skype e a presencial, ou seja, aquele sentimento de "tá tudo dando certo!"

Entrevistas: I - via Skype

As entrevistas, no meu caso, foram duas: via skype com a agência e presencial com a cia marítima, mas acredito que a maioria das vagas faça as duas entrevistas via skype. A primeira etapa foi me cadastrar no site da Infinity. Após o cadastro pré-aprovado, recebi a confirmação agendando a entrevista. 

A entrevista com a Infinity
Eles marcam a entrevista com um horário péssimo, tipo "entre 10 e 15 horas", ou seja, você tem que ficar à disposição esperando o skype tocar. Se você estiver empregado, muito pior, pois terá que faltar o trabalho para isso. No meu caso, marquei a entrevista para o mesmo dia em que já havia uma consulta médica, então não tive problemas no trabalho.

A entrevista foi muito rápida, durou cerca de 7 minutos. Começamos em português, depois um pouco em inglês. O inglês de quem me entrevistou não era bom (acho feio julgar o inglês do coleguinha, mas como o intuído da entrevista era ele avaliar o meu, cabe esse parenteses para tranquilizar quem fica nervoso com entrevistas em inglês: geralmente, quando o inglês da pessoa não é muito bom, ela fala mais devagar e você entende melhor o que ela "quis dizer", então não se desespere).

Nível de inglês? Altíssimo!

Trabalhar em cruzeiro, por onde começar?

Quando alguém me pergunta "o que eu preciso pra trabalhar num navio de cruzeiro" o meu primeiro pensamento é no funk da Dança do Créu. Sim amigos, pra trabalhar a bordo TEM QUE TER DISPOSIÇÃO! A começar pelo processo, que é longo e caro. Então vamos lá!

O primeiro passo para quem pretende trabalhar em um navio de cruzeiro é pesquisar. Pesquisar como é a vida a bordo, o trabalho, o salário, e a forma de se inscrever. Sugiro, além do Google, uma pesquisa em outros blogs e em grupos do Facebook (tem um grupo chamado Crew Life que recomendo). O resultado dessa pesquisa vai te informar que a vida a bordo não é fácil, que se trabalha muito (muito mesmo, cerca de 11 horas por dia), e que está longe de ser um mar de rosas. Mas se você tiver espírito aventureiro, as experiências de quem foi garantem que é incrível!

"como é a vida a dois, a bordo de um cruzeiro, após a morte, segundo o espiritismo" Pesquisar...