https://www.google.com/adsense/new/u/0/pub-3159886379608766/home Pega o Mapa!: Now what?

quinta-feira, 4 de março de 2010

Now what?

Planos. Frustraçoes. Expectativas. Medo. Ao programar o intercambio, esses foram os fantasmas. As frustraçoes e expectativas sao inerentes à qualquer planejamento: escolher uma faculdade, sair de casa, arrumar emprego, sair do país... e o medo do desconhecido às vezes nos assusta tanto que por pouco nao esbarra no sonho, na vontade de fazer o tal plano dar certo. Agora que estou aqui, com -graças a Deus- grande parte desses "sonhos" concretizados, voltar pra casa é que assusta. Estou à cinco meses do Brasil e ainda nao sei o que esperar. Quero voltar, essa nao é a questao, nunca foi,  me planejei pra um ano, somente. Estou muito feliz com tudo que tem acontecido, com todas as oportunidades que tenho tido e com tudo que tenho aprendido, mas um ano é o suficiente.

Entao, entrando nesse "processo"de volta pra casa, faço novos planos, que vem (e virao) com algumas frustraçoes, muitas expectativas e, como nao poderia deixar de ser, medo!  Preciso terminar a faculdade, encontrar um lugar pra morar, arrumar um emprego (nao necessariamente nesta ordem). O problema maior gira em torno da faculdade. Escolhi um curso que, na teoria, tem um mercado super abrangente, mas na prática (na minha cidade), resume-se a uma profissao que nao me faz feliz. Quero insistir na área, porque realmente gosto, mas nao sei qual caminho seguir. Termino o curso em Vitória mesmo (e trabalho onde?) Transfiro pra uma cidade maior (e meu Deus, vou trabalhar ONDE?) Minha família nao costuma me levar muito a sério nas minhas decisoes, o que, convenhamos, nao me ajuda muito. Começando pela decisão de estudar uma coisa que pouca gente sabe realmente do que se trata. Depois, minha vinda pra cá, onde na mesma semana do embarcar eu ainda ainda ouvia "mas voce vai mesmo?" e agora, tudo tque tem passado pela minha cabeça sobre o"futuro". "Por que voce tem que querer sempre o mais difícil, Carolina?" Eu juro que gostaria de simplificar as coisas, que preferiria saber exatamente o que fazer com a minha vida, que tivesse um livro com instruçoes pra seguir, mas eu nao tenho. Cansa ter que dar explicaçoes sobre os próximos passos e e ter que lidar com a falta de fé estampada na cara das pessoas. 

O fato é que, enquanto estava no Brasil, achei que tudo estivesse errado, inclusive meu "plano descuidado de cuidar de crianças nos Estados Unidos" mas a verdade é isso parece ser, de longe, a única coisa que realmente fiz certo (nao a parte do "cuidar de criança" em si, mas o "insistir em vir pra cá") e é só isso que me mantém insistindo no que todo mundo ve como perda de tempo.

Planos. Frustaçoes. Expectativas. Medo...

...Vida.


"seria mais fácil fazer como todo mundo faz...
...mas nós vibramos em outra freqüência
sabemos que não é bem assim
se fosse fácil achar o caminho das pedras
tantas pedras no caminho não seria ruim"

12 comentários:

  1. Carolina! Parabéns pelo seu post. Gostei muito.
    Não foi só você que ouviu isso da sua família.. a minha também tem essa cara de "han?! vai pra onde? tá tá adriana.." ¬¬ ou "tu vai mesmo é?!".. mas enfim. E também tenho vontade de morar em uma cidade maior (E melhor) que a minha. Não se lastime por pensar grande. Não queira 'simplificar as coisas'.. Continue nesse caminho (seguindo sonhos e sem medo de arriscar) e não se contente com pouco.. E com certeza daqui a uns anos você vai olhar pra trás e ver que FAZENDO DIFERENTE você tambem chegou em um LUGAR DIFERENTE.

    Ufa.. que comentario enorme!


    =*

    ResponderExcluir
  2. Nossa me identifiquei 99% com seu post... um ano é só o que quer o ficar, mais o medo de ir, e depois o medo de voltar e a sensação é isso que vc quer??? Valeu pelo post e a mensagem que você transmitiu me animou bastante... super bjos e bom fds

    ResponderExcluir
  3. Oi Carol =)
    é minha primeira passada por aqui e já me identifiquei com teu post.
    essa questão do medo mesmo e da família foi certeira. engraçado como na própria família tem gente que duvida da gente neah?! Por isso eu tomei essa "descrença" e falta de incentivo como motivação. Vou fazer o programa? Vou! Pode ser que não seja o melhor pra mim daqui um ou dois anos? Pode! Mas e daí?? Eu tomei a seguinte regra: sou solteira, desimpedida, não tenho um cachorro pra dar água, portanto, NÃO ME ABSORVAM!!
    Entendo você muito viu. Se você está grilada com seu curso na facul, pensa numa guria com 25 anos, duas faculdades sem terminar, pensando em voltar e fazer Attendant Flight Course porque tá animadinha pelo irmão ser piloto comercial. Enfim. Tem muita gente, não no mesmo, mas quase no mesmo barco que você. Só não desanima, nem que você descubra aos 75 anos, mas que você faça o que tem vontade (o que der na telha tb neah?!) e seja muito feliz. E a única coisa que você deve pra você mesma.
    Amei seu post, serião...
    E tô te seguindo =))
    Bjk =*

    ResponderExcluir
  4. Carol... essa eh a grande realidade de estudantes de RI... hahaha... nao se sinta sozinha nesse barco!!
    Estou aqui, exatamente na MESMA situacao que vc... a unica diferenca que moro com minha mae e ponto final.

    Mas os medos em relacao a escolha da facul, as explicacoes do que eh, pra que serve, qdo nem ao menos nos temos certeza... eh igualzinho!!

    Mesmo eu sendo do RJ.. hehehehe!

    Vai dar tudooo certo!!

    beijossssss

    ResponderExcluir
  5. Carol, vc como uma das poucas leitoras do meu blog sabe que passo sempre por uns dilemas horrorosos assim... e hoje mesmo tava me sentindo meio emo por justamente pensar grande demais, e nao ser como o resto. Me senti condenada a ter uma vida meio frustrada por nao correr atrás de tudo oq eu quero, e tb por nao conseguir tudo oq eu quero. Querer demais é um problema, mas nao acho que seja o seu nem o meu. Agnt só quer ter as coisas direito neh? Nao pode sair de qualquer forma :p

    E aqui, nao passa pela sua cabeça passar mais tempo ai nao? Sei la.. acho q vc vai ter um choque muito grande saindo da civilização e voltando pro Brasil auahsuahsua

    ResponderExcluir
  6. vc queria mais do q terminar o ensino medio, casar e abrir uma loja de roupa! isto significa q vc nao tem uma cabeca só para separar a orelha.

    ResponderExcluir
  7. Não lhe conheço, temos em comum só a escolha profissional, mas vou dizer o futuro tem o raro poder de implodir nossos planos e trazer coisas boas e ruins.. sei lá se me faço entender não escrevo bem como vc. Mas, posso lhe dizer não estressa muito e fique atenta as vezes uma belíssima oportunidade se apresenta ou não. É a beleza da vida.

    Abraços e excelente blog.

    ResponderExcluir
  8. É.. as opiniões são divididas sobre colocar tópicos ou não na carta.
    Tô redigindo ela separando os temas mas no fim não sei se vou tirar as divisões..

    Parabéns pelo nosso dia!
    =*

    ResponderExcluir
  9. Obrigado pela visita e pelo comentário.. to sempre de olho aqui tb.. abraços,

    ResponderExcluir
  10. icaro zippinotti14/3/10 15:10

    carol você escrave muito
    to orgulhoso rsrs to flando sério
    vc tinha que investir nisso rsrs
    bjus te amo muito
    Ps:eu vou ta sempre aqui viu, pra te apoiar em qualquer decisão que você tome

    ResponderExcluir
  11. Eu te amo!! E to morrendo de saudades!!

    ResponderExcluir
  12. Ai, Carol, chega uma hora que a gente tem que parar de achar que os outros sabem o que é melhor pra gente! É só vc q pode descobrir como se feliz com o q vc faz, e o melhor caminho pra isso é arriscar, sem medo de ser feliz. É quebrando cara que a gente aprende o que é bom e o que é ruim, e uma hora a gente pára de errar e começa a acertar.
    Vem pra Brasília trabalhar nas embaixadas, meu bem! hahahaha
    Força na peruca!

    Bjao!

    PS: Adorei a música do EngHaw!

    ResponderExcluir