https://www.google.com/adsense/new/u/0/pub-3159886379608766/home Pega o Mapa!: Março 2010

segunda-feira, 29 de março de 2010

São Francisco

SÃO FRANCISCO!! Cidade de gente bonitas, de sistema de transporte funcional, de nightclubs animadíssimos, de muito charme na arquitetura, de uma Downtown bonita e de pessoas muito simpáticas!

Manu, que veio no mesmo embarque  que eu há sete meses atrás, foi a companhia mais deliciosa do mundo!Alugamos umas bicicletas, pedalamos por toda baía e cruzamos a Golden Gate Bridge de 1 da tarde até às 6 da noite, e impressionantemente, no outro dia eu ainda tinha pernas!)

Fomos até Sausalito, uma vizinhança linda, com casas lindas e uma orla mais linda ainda (gente, quanta coisa linda hahauauh)



No outro dia visitamos as famosas "Casa Vitorianas"ou "Painted Ladies" ou as casas de "Tres é Demais (Full House)"



Gato, amei viajar com voce! Voltamos com muito a história pra contar e com mais gás pros próximos quatro meses de EUA!


Ps: Para quem vai:
1- Ficamos em um hotel bem pequeno (o que compensou o preço) mas super bem localizado, perto de metro, onibus, trem...
2- Alugue uma bicicleta SIM, mas cuidado com o seu cartao, caso ele seja de débito. O seguro das bicicletas é de US$ 250 e certifique-se que eles nao vao PASSAR o cartao, e sim só manter os seus dados. Caso contrário, prepare-se pra passar muita raiva com o seu banco...
3- Caso queira ir à Prisao de Alcatráz, faça reserva on line e com antecedencia.
4- Apesar de ser praia e primavera (ou até mesmo no verao), nao se iluda, o clima de SF, principalmente de manha, é friozinho (dizem que pq da neblina...)

quinta-feira, 4 de março de 2010

Now what?

Planos. Frustraçoes. Expectativas. Medo. Ao programar o intercambio, esses foram os fantasmas. As frustraçoes e expectativas sao inerentes à qualquer planejamento: escolher uma faculdade, sair de casa, arrumar emprego, sair do país... e o medo do desconhecido às vezes nos assusta tanto que por pouco nao esbarra no sonho, na vontade de fazer o tal plano dar certo. Agora que estou aqui, com -graças a Deus- grande parte desses "sonhos" concretizados, voltar pra casa é que assusta. Estou à cinco meses do Brasil e ainda nao sei o que esperar. Quero voltar, essa nao é a questao, nunca foi,  me planejei pra um ano, somente. Estou muito feliz com tudo que tem acontecido, com todas as oportunidades que tenho tido e com tudo que tenho aprendido, mas um ano é o suficiente.

Entao, entrando nesse "processo"de volta pra casa, faço novos planos, que vem (e virao) com algumas frustraçoes, muitas expectativas e, como nao poderia deixar de ser, medo!  Preciso terminar a faculdade, encontrar um lugar pra morar, arrumar um emprego (nao necessariamente nesta ordem). O problema maior gira em torno da faculdade. Escolhi um curso que, na teoria, tem um mercado super abrangente, mas na prática (na minha cidade), resume-se a uma profissao que nao me faz feliz. Quero insistir na área, porque realmente gosto, mas nao sei qual caminho seguir. Termino o curso em Vitória mesmo (e trabalho onde?) Transfiro pra uma cidade maior (e meu Deus, vou trabalhar ONDE?) Minha família nao costuma me levar muito a sério nas minhas decisoes, o que, convenhamos, nao me ajuda muito. Começando pela decisão de estudar uma coisa que pouca gente sabe realmente do que se trata. Depois, minha vinda pra cá, onde na mesma semana do embarcar eu ainda ainda ouvia "mas voce vai mesmo?" e agora, tudo tque tem passado pela minha cabeça sobre o"futuro". "Por que voce tem que querer sempre o mais difícil, Carolina?" Eu juro que gostaria de simplificar as coisas, que preferiria saber exatamente o que fazer com a minha vida, que tivesse um livro com instruçoes pra seguir, mas eu nao tenho. Cansa ter que dar explicaçoes sobre os próximos passos e e ter que lidar com a falta de fé estampada na cara das pessoas. 

O fato é que, enquanto estava no Brasil, achei que tudo estivesse errado, inclusive meu "plano descuidado de cuidar de crianças nos Estados Unidos" mas a verdade é isso parece ser, de longe, a única coisa que realmente fiz certo (nao a parte do "cuidar de criança" em si, mas o "insistir em vir pra cá") e é só isso que me mantém insistindo no que todo mundo ve como perda de tempo.

Planos. Frustaçoes. Expectativas. Medo...

...Vida.


"seria mais fácil fazer como todo mundo faz...
...mas nós vibramos em outra freqüência
sabemos que não é bem assim
se fosse fácil achar o caminho das pedras
tantas pedras no caminho não seria ruim"